Arrow
Arrow
PlayPause
Slider

Poluição do ar: Árvore robótica

Fonte: Unisinos

poluição do ar atingiu níveis elevados de toxicidade, a tal ponto que a Organização Mundial de Saúde (OMS) adverte que uma em cada oito mortes, a nível global, ocorrem pela inalação de ar contaminado. O organismo considera que a poluição atmosférica é o mais grave risco ambiental do mundo para a saúde. Cerca de sete milhões de pessoas morrem em consequência desse problema.

 

México é o país da América que apresenta alguns dos piores índices de qualidade do ar. Neste país, há cerca de 9.300 mortes por ano devido a causas associadas ao fenômeno, segundo o Centro Mexicano de Direito Ambiental. Por isso, não chama a atenção que seja o local onde se criou uma das invenções que podem ajudar a reverter esta situação: Biourban, uma árvore robótica capaz de fazer o trabalho de 368 árvores “comuns”.

“O sistema foi concebido a partir do grave problema da poluição ambiental que existe no mundo. As políticas públicas para resolver esta questão são muito ineficientes, em geral, medem a poluição ao invés de reduzi-la”, disse Jaime Ferrer, cofundador da BiomiTech, a empresa que as produz. “Viemos para tentar mudar isso”, disse.

Após três anos de pesquisa, esta empresa mexicana desenvolveu uma árvore mecânica que pode ajudar a remediar os gases poluentes que contribuem para provocar a morte de 1,7 milhão de crianças menores de cinco anos em todo o mundo. O dispositivo mede quatro metros de altura e três de diâmetro na copa, contém cinco cilindros de 100 litros cada. Em seu interior, alojam-se algas vivas que cumprem os processos de fotossíntese 24 horas por dia, nos 365 dias do ano. “A poluição entra nos cilindros e as algas absorvem, processam e devolvem em forma de ar filtrado. Para que esse processo ocorra mesmo à noite, as algas são iluminadas com energia obtida através de painéis solares, algo que dá autonomia ao sistema”, explicou Ferrer.

Dependendo da poluição do ambiente no local, a manutenção deve ser feita a cada três ou quatro meses para que cada uma dessas árvores robóticas funcione adequadamente. Realiza-se a limpeza do painel e se retira o excesso de algas, que sendo um organismo vivo, se reproduz no interior dos cilindros. Mas, até isso é aproveitado, uma vez que esses excedentes podem ser usados como fertilizantes para a terra. Dessa forma, a vida útil de cada árvore mecânica de 50.000 dólares pode ser estendida por mais de 20 anos.

poluição atmosférica nas cidades e áreas rurais em todo o mundo causa 4,2 milhões de mortes prematuras por ano. E 91% delas ocorrem em países de baixa e média renda.

Na região, a Organização PanAmericana da Saúde fornece dados mais concretos. Nas Américas, a poluição atmosférica é responsável por 93.000 mortes anuais, em países de renda baixa e média, e por 44.000 em países de renda alta.

“A população mundial está morrendo lentamente ao respirar poluentes como micropartículas que se alojam nos pulmões. Somente no México, milhares de pessoas morrem a cada ano devido a problemas associados à poluição atmosférica, em um fenômeno que chamamos de morte lenta”, destacou Ferrer.

É por isso que esta invenção mexicana atraiu a atenção do mundo. Ganhou prêmios no Reino Unido e na Suíça. Puebla é a única cidade onde opera em seu país de origem, mas algumas já estão instaladas na Turquia, Panamá e Colômbia. Outros países como Inglaterra, França e Índia iniciaram conversas para instalar nas ruas de suas cidades a primeira tecnologia a nível mundial, capaz de reduzir a poluição do ar.